Produtos de Satélite

Para a variável focos de queima são utilizados todos os satélites que possuem sensores óticos operando na faixa termal-média de 4um e que o INPE consegue receber. No presente (julho/2009), são processadas operacionalmente as imagens AVHRR dos satélites polares NOAA-15, 16, 17, 18 e 19, as imagens MODIS dos satélites polares NASA TERRA e AQUA, as imagens dos satélites geoestacionários GOES-10 e MSG-2. Informações mais detalhadas sobre a estimativa de foco de queima estão disponíveis em: http://sigma.cptec.inpe.br/queimadas.

Para a variável radiação UV são utilizados os dados do Modelo UVSIM (Ultraviolet Simplified Model). O índice Ultravioleta (IUV) indica o nível da intensidade máxima de radiação solar Ultravioleta (UV) incidente na superfície e que apresenta efeitos sobre a saúde humana.

A variável precipitação acumulada atualmente é obtida pelo hidroestimador, cujo método utiliza uma relação empírica exponencial entre a precipitação (estimada por radar) e a temperatura de brilho do topo das nuvens (extraídas do canal infravermelho do satélite geoestacionário GOES-12), gerando taxas de precipitação em tempo real. Mais informações devem ser consultadas em: http://sigma.cptec.inpe.br/prec_sat/#. No entanto, uma nova estimativa de precipitação tem sido desenvolvida pelo DSA/CPTEC, apresentando-se mais realista e confiável, conhecida como estimativa de precipitação “CoSch/Merge”, e que será adotada em breve.

A estimativa de precipitação “CoSch/Merge” é baseada na combinação de esquemas de correção viés multiplicativos e aditivos para obter o menor viés quando comparado com os valores observados (pluviômetros), portanto, combinam dados observacionais das estações de superfície com as medidas em micro-ondas dos satélites TRMM. Informações detalhadas sobre essa estimativa são encontradas em Vila et al. (2008).