Você está aqui: INPE / Pós-Graduação / GES / Linhas de Pesquisa

Linhas de Pesquisa

Acoplamento Eletrodinâmico Atmosférico e Espacial


Acoplamento Eletrodinâmico Atmosférico e Espacial

O grupo de Acoplamento Eletrodinâmico Atmosférico e Espacial "ACATMOS" é uma das linhas de Pesquisa da Divisão de Aeronomia (DIDAE) do INPE. O ACATMOS é o primeiro e, até o momento, único grupo na América Latina que estuda o acoplamento eletrodinâmico de todas as camadas da atmosfera e do sistema atmosférico com a região de Espaço próximo à Terra. Esse acoplamento é sinalizado pelos Eventos Luminosos Transientes "ELTs", dos quais os Sprites são os mais conhecidos, e pelas Emissões de Alta Energia de Tempestades "ALETs", como os Flashes de Raios Gama Terrestres "FGTs". Coletivamente, ambas classes de fenômenos são denominadas EFeitos Sinalizadores do Acoplamento EletroDinâmico Atmosférico e ESpacial "FADAS".
http://www.dae.inpe.br/acatmos/


Alta Atmosfera


Alta Atmosfera

O grupo de pesquisas em Física da alta Atmosfera é parte da divisão de Aeronomia (DIDAE) do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Nossas atividades de pesquisas iniciaram-se em 1968 com a montagem de um radar de laser (LIDAR) de rubí para monitoramento dos aerossóis estratosféricos.
http://www.dae.inpe.br/fisat/


Eletricidade Atmosférica


Eletricidade Atmosférica

O ELAT é o primeiro grupo de pesquisa sobre raios criado no Brasil e faz parte do Centro de Ciências do Sistema Terrestre do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. É considerado uma referência mundial nas pesquisas sobre eletricidade atmosférica.
http://www.inpe.br/webelat/homepage/


Geomagnetismo


Geomagnetismo

Os estudos de Geomagnetismo desenvolvidos no INPE baseiam-se na realização de medidas das variações temporais do campo magnético terrestre observadas na superfície da Terra. Essas variações resultam da soma de duas contribuições distintas: uma de origem externa (considerada primária e gerada por correntes elétricas fluindo na ionosfera e na magnetosfera) e outra interna (secundária, induzida pelas variações externas em materiais condutores no interior da Terra).
http://www.dge.inpe.br/geoma/


Ionosfera


Ionosfera

A linha de Pesquisa Ionosfera faz parte da Divisão de Aeronomia do INPE. Estas Pesquisas foram iniciadas em 1963, com a recepção de sinais de satélites. Sondagens ionosféricas (por ionossondas) foram iniciadas em Cachoeira Paulista, SP, em 1973, e em Fortaleza, CE, em 1975.
http://www.dae.inpe.br/iono/


Luminescência Atmosférica


Luminescência Atmosférica

O grupo de Luminescência Atmosférica "LUME" é uma das linhas de pesquisa da Divisão de Aeronomia (DIDAE) do INPE. Os principais tópicos de estudo são: os processos físicos (temperatura, ventos e propagação de ondas) e fotoquímicos (reações de oxigênio atômico, hidrogênio, ozônio e os íons) na alta atmosfera, de 80 a 300 km de altura, através da observação de luminescências atmosféricas. Estão sendo monitorados as emissões óticas de oxigênio atômico, OI 557,7 nm e OI 630,0 nm, sódio em 589 nm, hidroxila OH(6,2) em 835 nm e oxigênio molecular O2 atm.(0,1) em 866 nm.
http://www.dae.inpe.br/lume/


Magnetosfera-Heliosfera


Magnetosfera-Heliosfera

O estudo da física da magnetosfera e de sua extensão a fenômenos do meio interplanetário, solares e heliosféricos é atualmente de grande interesse para o entendimento das características fundamentais do chamado Clima Espacial, nesta linha de pesquisa, estudam-se processos básicos do acoplamento sol-meio interplanetário-magnetosfera fazendo uso de colaborações com diversos grupos nacionais e do exterior, envolvendo abordagens teórica, numérica e computacional, assim como modelagens através de dados coletados por espaçonaves, satélites e monitoramento terrestre.


Média e Baixa Atmosfera


Média e Baixa Atmosfera

As pesquisas focalizam-se principalmente no estudo de gases minoritários de interesse à Biosfera, tais como O3, CO2, CO, N2O, CH4 e SO2, tanto teoricamente, através de modelagem da fotoquímica e dinâmica como experimentalmente através de estações monitoras (espectrofotômetro Dobson, cromatografia gasosa) ou a bordo de foguetes (sondas óticas) e balões (sondas EEC). São também utilizados métodos da Geofísica Nuclear e computacionais para estudos de fenômenos de interesse cosmogeofísico e planetário.