Você está aqui: INPE / Pós-Graduação / ETE / Infraestrutura do Curso

Infraestrutura do Curso

Publicado Por: INPE
Última Modificação: Mar 15, 2019 15h34

Laboratórios

O Programa conta com laboratórios para apoio as 4 diferentes áreas de concentração. No texto a seguir os laboratórios são organizados por Área de Concentração.

Mecânica Espacial e Controle (CMC) [+]
  • 1. ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM MECÂNICA ESPACIAL E CONTROLE (CMC)

    • 1.1 LABORATÓRIO DE CONTROLE TÉRMICO (LABTER)
      O LABTER possui estrutura para apoiar o projeto térmico de satélites e para desenvolver pesquisa e tecnologia na área térmica. O laboratório possui uma câmara termo-vácuo de 1mx1m para simulação do ambiente térmico espacial, uma sala para desenvolvimento de dispositivos equipada com uma campânula acoplada a um sistema de vácuo, dois sistemas de aquisição de dados, um criostato, fontes de potência, etc. Este laboratório tem sido usado para desenvolvimento de capacitores térmicos, tubos de calor e circuitos de bombeamento capilar. Encontra-se em andamento uma reforma com objetivo de capacitar o laboratório para testes de qualificação de dispositivos bi-fásicos tais com tubos de calor e circuitos de bombeamento capilar.
    • 1.2 LABORATÓRIO DE SIMULAÇÃO (LABSIM) DE SISTEMAS DE CONTROLE DE ATITUDE E ÓRBITA (SCAO) DE SATÉLITES ARTIFICIAIS
      O LABSIM vem apoiando os várias projetos de Pesquisa (Modelagem, Identificação, Simulação, Controle, Aquisição de Dados, Computação, Comunicação, Integração e Testes, Tolerância a Falhas, etc.) aplicados nos Sistemas de Controle de Atitude e/ou de Órbita (SCAOs) de Veículos Aeroespaciais, especialmente de satélites (SCD-1, SCD-2, SCD-2A, SACI-1, SACI-2), balões controlados (MASCO), e plataformas sub-orbitais (PSO-1), usando muitos softwares (Matlab/Simulink, Matrix-X/AutoCode, etc.) e hardwares (Mesa de Mancal a Ar de 1 eixo, Mesa de Mancal a Ar (MMAr) de 3 eixos, Mesa de Rotação Controlada, simulador dinâmico CONTRAVES 53M2B-30H, etc.) apropriados. Desde então, todos estes ambientes e instalações constituíram o Laboratório para Simulação, Identificação, e Modelagem – LABSIM, localizado na Divisão de Mecânica Espacial e Controle – DMC do INPE, São José dos Campos, SP. Correntemente, trabalha-se em novos Projetos de Pesquisa (Distribuição de Detritos Espaciais, Manutenção de Constelações de Satélites, Controle Nebuloso de Satélites Artificiais, Controle Tolerante a Falhas de SCAOs, Simulação Distribuida de SCAOs em Tempo Real, Caracterização e Testes de Instrumentos, etc.) e veículos (PSO-2). Estes trabalhos, ambientes, instalações e projetos estão resumidos na página do INPE http://www.inpe.br/english/index.htm, na página da DMC e na página do CNPq sobre os Grupos de Pesquisa no Brasil http://www.cnpq.br/plataformalattes/dgp/versao4/index.html. Também pretende-se instalar, testar e usar em estudos (para o INPE, AEB, etc.) licenças demonstrativas temporárias de softwares de ambientes de desenvolvimento cedidas por instituições prestigiosas para pesquisadores do Laboratório.
    • 1.3 LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA
      O objetivo principal deste laboratório é apoiar projeto, desenvolvimento, integração e testes de montagens eletrônicas. Dispõem de equipamentos típicos para o desenvolvimento de hardware como osciloscópios, analisadores de espectro, fontes de alimentação, multímetros, etc. bem como dispositivos para o desenvolvimento de placas de circuito impresso e montagens com qualificação espacial. Em 2000, permitiu o desenvolvimento de conjunto de módulos de sensores inerciais e toda a instrumentação de bordo para uma plataforma de microgravidade que voaram na Plataforma SubOrbital - PSO, lançada a partir do Centro de Lançamentos da Barreira do Inferno em Natal, RN, no dia 09/12/2000 e desde então apoiam a DMC do INPE.
    • 1.4 LABORATÓRIO DE MECÂNICA
      O laboratório de mecânica dá suporte ao Laboratório de simulação - LabSim e à Divisão de Mecânica Espacial e Controle - DMC do INPE em projeto, desenvolvimento, integração e testes de montagens mecânicas. Dispõe de diversos equipamentos para a montagem, medição e fabricação de máquinas, simuladores, dispositivos mecânicos e integração de veículos espaciais de pequeno porte. A estrutura mecânica da Plataforma SubOrbital - PSO foi toda integrada nesse laboratório. Outras realizações desse laboratório foram uma bobinadeira para bobinas de controle de atitude para satélites, Mesa de Mancal a Ar de 1 eixo, Mesa de Mancal a Ar de 3 eixos, Mesa de Rotação Controlada de 1 eixo, Pêndulo com Mancal de Cutelo para desenvolvimento e caracterização de Amortecedor de Nutação, Amortecedor de Nutação em anel para os satélites desenvolvido no INPE como: SCD1, SCD2, SCD2A, SaCi 1 e SaCi 2.


Ciência e Tecnologia de Materiais e Sensores (CMS) [+]
  • 2. ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MATERIAIS E SENSORES (CMS)

    Esta área de concentração foi crescendo ao longo dos anos e hoje possui 15 laboratórios e uma sala limpa e uma oficina mecânica para apoio às pesquisas desenvolvidas no curso, são eles:

    • 2.1 LABORATÓRIO PARA CRESCIMENTO EPITAXIAL DE SEMICONDUTORES
      Este laboratório conta com um moderno sistema de crescimento por epitaxia de feixe molecular MBE (RIBER 32P), equipado com oito células de efusão com as seguintes cargas sólidas: PbTe, SnTe, Bi2Te3, Te, Eu, Te, BaF2 e CaF2. O sistema possui um espectrômetro de massa para análise de gases residuais e um sistema de difração de elétrons de alta energia, acoplado a uma câmara digital para aquisição de imagens em tempo real, que permite a caracterização do filme durante o processo de crescimento.
    • 2.2 LABORATÓRIO DE CRESCIMENTO DE CRISTAIS SEMICONDUTORES E DE PROCESSAMENTO DE MATERIAIS
      Este laboratório possui um sistema de purificação de elementos e ligas através de reação em atmosfera de H2 e 6 fornos tubulares para tratamento térmico, fusão, solda a vácuo e crescimento de cristais semicondutores.
    • 2.3 LABORATÓRIO PARA FABRICAÇÃO DE DETECTORES
      Neste laboratório, contamos com um pequeno sistema de fotolitografia que permite a obtenção de arranjos de detectores simples com dimensões de até 50 mm.
    • 2.4 LABORATÓRIO DE DEPOSIÇÃO DE FILMES FINOS, METALOGRAFIA E CARAMOGRAFIA
      Utilizado para evaporação de filmes finos metálicos para contatos elétricos e filmes isolantes para camadas ópticas. Polimento de superfícies de materiais cerâmicos, metálicos e semicondutores. Neste laboratório são armazenados os materiais de vácuo (conexões, reduções, válvulas, mangueiras e bellows flexíveis, óleos para bombas de vácuo).
    • 2.5 LABORATÓRIO PARA CRESCIMENTO DE DIAMANTE CVD
      Este laboratório conta com 5 pequenos reatores de filamento quente com câmara em pirex, sendo um dedicado ao desenvolvimento das brocas de diamante, um dedicado a estudos de dopagem do diamante com boro para obtenção de eletrodos para eletroquímica, outros 3 de uso geral, com capacidade de crescimento em pequenas áreas (2 X 1 cm2); um reator de filamento quente em aço inox, com capacidade de crescimento até 75 mm de diâmetro; 3 reatores assistidos por plasma de microondas, sendo um de baixo custo, com magnetron de forno de cozinha, onde a cavidade também pode ser acoplada à fonte de 6 kW, um reator de grande porte com 6 kW de potência e um reator de plasma sustentado por ondas de superfície em 2,45 GHz, também com 6kW de potência.
    • 2.6 LABORATÓRIO DE CARACTERIZAÇÃO POR LASER
      Neste laboratório encontram-se técnicas ópticas não lineares, não intrusivas, de diagnóstico da fase gasosa, em particular, as técnicas LIF ("Three-Photon-Excitation Laser Induced Fluorescence) e REMPI ("Resonance Enhanced Multiphoton Ionization"). Para isto conta com: um laser de Nd:YAG, com taxa de repetição de 30Hz, largura do pulso de 8ns e energia de pulso de 200mJ em 532nm; um laser de corante operante na faixa 200-820nm; Fotomultiplicadora, Boxcar.
    • 2.7 LABORATÓRIO DE CARACTERIZAÇÃO DE CÉLULAS SOLARES, SILÍCIO POROSO E DEPOSIÇÃO DE FILMES POR FEIXE DE ELÉTRONS
      Para a caracterização de células solares este laboratório conta com dois simuladores solares de 1000 W, marca ORIEL e sistema automático de medidas corrente-tensão, com controle de temperatura. Para caracterização de silício poroso, o laboratório possui sistema para medida de fotoluminescência composto de monocromador Merlin, Marca Oriel; Fonte de luz de xenônio, marca ORIEL; filtros e componentes ópticos. O laboratório conta ainda com: Capacímetro HP 42297A; Osciloscópio Digital TDS 820; Amplificadores síncrono tipo Lock-in, Eg&G 5110; Amplificador síncrono tipo Lock-in, Stanford 510; Fonte de Tensão HP6651A e 2 Multímetros digitais, HP3478A. Para deposição de filmes finos por feixe de elétrons o laboratório conta com um "e-beam" auto 306 da Edwards e capela com ambiente limpo para preparação de substratos.
    • 2.8 LABORATÓRIO DE SENSORES AMBIENTAIS E PROCESSAMENTO DE CERÂMICAS AVANÇADAS
      Este laboratório possui infra-estrtutra para técnicas fototérmicas e processamento de materiais cerâmicos avançados para aplicações espaciais, aeroespaciais e terrestres. Ele possui os seguintes equipamentos: Espectrofotômetro Hitachi U3501 (185 a 3200 nm ) com acessórios para medidas de reflexão difusa e especular; Ponte RLC Philips PM6304 para caracterização dielétrica de materiais; Duas montagens experimentais para medidas fototérmicas, com "Lock-in", "Chopper", Fonte de luz branca e microcomputador para aquisição de dados; Componentes ópticos (lentes, filtros, etc); Máquina de Ensaios Mecânicos ( tração e compressão ) e compactação uniaxial; Moinho centrífugo marca Retsch, modelo S100; Forno tipo mufla, marca Brasimet, modelo K100, para 1300oC; Bancada de testes mecânicos, marca Comten Industries, modelo 944KVC0100; Roto-evaporador marca TECNAL modelo TE 210; pHmetro Digital Microprocessado, marca GEHAKA, modelo PG2000; Lixadeira/Politriz motorizada, marca Arotec, modelo APL-04D; Agitador de Peneiras, marca Bertel; Sistema de nitretação/carbonetação, implantação rasa de íons e PVD.
    • 2.9 LABORATÓRIO DE RAIOS X: LAUE E DIFRAÇÃO DE RAIOS X CONVENCIONAL
      Este laboratório possui dois difratômetros de raios X : Difratômetro de raios X PW1830 da Philips; Difratômetro de raios X RIGAKU para orientação de cristais via método Laue.
    • 2.10 LABORATÓRIO DE RAIOS X DE ALTA RESOLUÇÃO
      Laboratório equipado com um sistema de difração de raios X de alta resolução Philips modelo X'Pert-MRD. Este difratômetro possui um goniômetro de alta resolução (0.0001o) e uma série de módulos óticos pré-alinhados para o feixe incidente e difratado, que permite a aplicação de vários métodos de difração e refletometria de raios-x a diversos tipos de materiais.
    • 2.11 LABORATÓRIO DE MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE VARREDURA E EDS
      Laboratório equipado com: Microscópio Eletrônico de Varredura com capacidade de Análise Dispersiva por Raios X (JEOL) e evaporadora de filmes finos. Uma lista dos equipamentos mais sofisticados disponíveis nos laboratórios que somados são avaliados em mais de U$3,000,000.00 : - Microscópio eletrônico de varredura de alta resolução (FEG-SEM), marca TESCAN, modelo MIRA 3 (Multiusuário). Financiamento: CT-INFRA – FINEP. - Espectroscopio de fotoelétrons excitados por raios X (XPS), Marca AXIS, modelo ULTRA-DLT (Multiusuário) Financiamento: CT-INFRA - FINEP (Multiusuário). - Espectrógrafo de Espalhamento RAMAN, marca HORIBA, modelo LABRAM-HR-EVOLUCTION Financiamento: FAPESP. - Microscópio eletrônico de varredura (MEV), marca TESCAN, modelo VEGA 3 Financiamento: CT-INFRA - FINEP (Multiusuário). - Microscópio de Força Atômica (AFM), marca VECCO, modelo Multimode IV Financiamento: CT-INFRA - FINEP (Multiusuário).
    • 2.12 LABORATÓRIO DE ESPECTROSCOPIA RAMAN, MICROSCOPIA ÓTICA E PERFILOMETRIA
      Este laboratório está equipado com os seguintes sistemas de medida: Sistema Micro Raman com possibilidade para aquisição de imagem da Renishaw (Raman 2000), perfilômetro Alpha-Step 500 da Tencor e microscópio ótico Zeiss tipo Nomarski.
    • 2.13 LABORATÓRIO DE MEDIDAS DE RESISTIVIDADE E EFEITO HALL
      Este laboratório possui um sistema de medida de resistividade e efeito Hall a baixo campo completamente automatizado que permite caracterizar eletricamente diversos materiais em temperaturas variando entre 12 e 400K. 2.
    • 2.14 LABORATÓRIO DE MEDIDAS DE PROPRIEDADES ÓTICAS EM BAIXAS TEMPERATURAS
      Laboratório equipado como os seguintes sistemas de medida: Sistema de medida de transmissão no infravermelho (2,5 a 22 mm) em baixas temperaturas; Espectrofotômetro de Fourier da Perkin Elmer (FTIR 1600).
    • 2.15 LABORATÓRIO DE QUÍMICA
      O laboratório de química é utilizado para ensaios químicos, polimento e ataque químico de substratos, preparação de cargas para crescimento de cristais. É responsável pelo armazenamento e distribuição de todo material químico utilizado pelo LAS. Além dos laboratórios, esta área conta com:
    • 2.16 SALA LIMPA PARA A FABRICAÇÃO DE MICROSENSORES DE SILÍCIO
      Esta sala possui uma infra-estrutura para finalidades diversas como: (i) Capela química classe 100, área útil 120X50 cm; (ii) Bancada classe 100 para litografia e adesão, área útil 140X60 cm; (iii) Filtro de Osmose reversa e de-ionizador, para água DI circulante de 17MOhm-cm. Sistema para Litografia: Spinner até 3000 rpm, Headway. Estufa comum, e chapa quente. Foto-alinhadora Electroglass de 2a mão, para amostras de diâmetro máximo 11/2 ", reconstruída no LAS (precisando ser substituída); e Fornos de 3 zonas, não-programáveis, para amostras de diâmetro máx 2". Corrosão química: • Reator de pyrex com agitação magnética e controle de temperatura por banho termostático recirculante, com controle de 0 0C. • Reator de pyrex com agitação mecânica, controle de temperatura por banho termostático recirculante, com controle de 0oC, com ultrasonicação a 20 hz, 240 Watts. • Reator de Teflon, tipo flow-thru, e circulação de solução corrosiva por bomba centrifuga de Teflon, e observação in-situ e em tempo real da interface de corrosão com aumento óptico até 500 X, com câmara de vídeo e gravador de vídeo. • Reator de Polipropileno para anodização, com contra-eletrodo de Pt, eletrodo de referencia, acoplado a Potenciostato/Galvanostato, e placa de captura de dados para acoplamento ao PC. • Vidraria para preparação e titulação de soluções. Termômetro tipo PT-100, com interface analógica. • Corrosão por plasma, Reator March 1700, para operação nos modes RIE e PE. Adesão: Limpeza na capela química classe 100, e secagem no spinner. Sistema de visualização por transmissão no IR próximo. Montagem para solda eletrostática, até 400 oC e 1000 V.
    • 2.17 OFICINA MECÂNICA
      A oficina mecânica conta com uma furadeira/fresadora FZF-25 e uma furadeira/fresadora automática Rocco FFPR40-A e dois tornos mecânicos. Entre os serviços que executa estão pequenas peças e acessórios para montagens de experimentos em laboratório.


Engenharia e Gerenciamento de Sistemas Espaciais (CSE) [+]
  • 3. ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM ENGENHARIA E GERENCIAMENTO DE SISTEMAS ESPACIAIS (CSE)

    Nesta área de concentração, discentes e docentes contam com os laboratórios descritos a seguir; bem como, com o Centro de Controle de Satélites (CCS) e o Laboratório de Integração de Teste (LIT). O propósito destes é operacional e não educacional, entretanto, cabe ressaltar que os alunos têm acesso oportunidade de acompanhar a operacionalidade do CCS e do LIT. O conhecimento acumulado pelos servidores ao longo dos 26 anos em operação do CCS permitem aos alunos do Programa PG-ETE uma oportunidade única com relação ao aprendizado em Operações de Satélites. Da mesma forma, pode-se contar com a dinâmica de operação do Laboratório de Integração de Teste de Satélites (http://www.lit.inpe.br/).

    • 3.1 CENTRO DE CONTROLE DE SATÉLITES (CCS)
      O Centro de Controle de Satélite (http://www.inpe.br/crc/ccs.php) realiza as operações rotineiras dos satélites oficialmente controlados pelo INPE, hoje, os satélites CBERS-4 e SCD-1 e SCD-2. Os alunos do Curso, principalmente aqueles da área de Concentração CSE, tem oportunidade de conviver e trocar experiências com engenheiros responsáveis pela operação dos satélites reais, o que caracteriza um diferencial de outras universidades, no que concerne ao conhecimento dos desafios e necessidades de controle e operação de satélites, as situações rotineiras e as contingenciais.
    • 3.2 LABORATÓRIO DE INTEGRAÇÃO E TESTES - LIT
      O Laboratório de Integração e Testes de Satélites (LIT) (http://www.lit.inpe.br/) do INPE possui câmaras térmicas, equipamentos de teses para acelerações laterais e verticais, uma mesa servo-assistida com três eixos, bancadas óticas, e toda infraestrutura de instrumentos de medidas e computacional necessárias para realização de testes ambientais em satélites. Este laboratório pode ser usado pelas diferentes áreas de concentração, dependendo da necessidade e disponibilidade do laboratório, o qual serve os programas institucionais. Dentro deste conta-se ainda com: • Equipamentos para testes térmicos - com três câmaras térmicas. • Laboratório de Mecânica, com diversas bancadas. • Laboratórios de Eletrônica, com diversas bancadas. • Salas de Microcomputadores, Estações de Trabalho e terminais para os computadores de grande porte. • Laboratório de Micropropulsão, para propulsores até 2N. • Laboratório de Materiais Compostos. • Oficina Mecânica (tornos, fresas, bancadas, prensas, etc.) • Salas de Bolsistas e Estudantes
    • 3.3 LABORATÓRIO DE ENGENHARIA SIMULTÂNEA DE SISTEMA - LSIS
      O Laboratório de Engenharia Simultânea de Sistemas (LSIS) foi projetado para o desenvolvimento de um Processo de Referência integrando ferramentas, metodologias e competências para o desenvolvimento de produtos, em particular para sistemas complexos, entre os quais, sistemas e subsistemas de satélites. Neste laboratório os alunos tem oportunidade de utilizar ferramentas de software para gerenciamento de requisitos e controle de projetos de sistemas. Um estudo de caso relevante desenvolvido neste laboratório, foi o recente Projeto CubeSat AESP11. Este CubeSat, desenvolvido por várias universidades brasileiras, foi o primeiro Cubesat brasileiro a ser lançado ao espaço.
    • 3.4 CENTRO INTEGRADO DE PROJETOS (CPRIME)
      Conjunto de 15 computadores ligados em redes e aplicativos que apoiam a atividade das disciplinas necessárias para Concepção de soluções de Sistemas Espaciais, numa proposta de Engenharia Concorrente. Tais soluções visam atender os requisitos de propostas de missões espaciais.
    • 3.5 LABORATÓRIO DE VERIFICAÇÃO E VALIDAÇÃO DE SISTEMAS INTENSIVOS EM SOFTWARE (LabV&Vsis)
      Conta com ferramentas de software e hardware para execução de testes e injeção de falhas possuindo 6 micro-computadores e kits de desenvolvimento para Arduino. O objetivo é desenvolver pesquisas na área de especificação de testes de conformidade, interoperabilidade e robustez de sistemas espaciais intensivos em software, fundamentadas em abordagens Model-Based Testing (MTB). O LabV&Vsis utiliza ferramentas de geração automática de teste inovadoras desenvolvidas em colaboração com instituições acadêmicas nacionais e internacionais, como as ferramentas CONDADO e PLAVIS, desenvolvidas em cooperação com pesquisadores do Instituo de computação da UNICAMP e da USP- São Carlos ao longo dos anos e do Projeto de Qualidade de Software Espacial (QSEE). O laboratório participou dos testes especificados em projetos de satélites, nanosatélites e balões estratosféricos com o apoio de sistemas de testes e simuladores desenvolvidos no INPE. As atividades de Verificação e Validação (V&V) constituem parte fundamental no desenvolvimento de sistemas espaciais e a definição de um processo de V&V de software associado ao ciclo de vida de uma missão espacial é requisito da qualidade e engenharia de software crítico como destacado nas normas ECSS-Q-80 e ECSS-E-40.


Combustão e Propulsão (PCP) [+]
  • 4. ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM COMBUSTÃO E PROPULSÃO

    O LCP está localizado no km 40 da Rodovia Presidente Dutra, Cachoeira Paulista, SP, como parte do Centro Regional de Cachoeira Paulista do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Este centro ocupa uma área de 480 alqueires, contendo uma extensa área verde, com plantações de eucaliptos, pomares e lagos. Dispõe de excelentes instalações esportivas e de lazer, bem como um à disposição dos alunos de Mestrado e Doutorado. Está localizado equidistante do Rio e São Paulo, a menos de três horas de cada cidade, e situa-se próximo às estâncias hidrominerais do Sul de Minas, próximo ao litoral norte de São Paulo e ao litoral sul do Rio de Janeiro. Estão disponíveis para os cursos de Mestrado e Doutorado seis prédios com área total aproximada de 1500m2, compreendendo secretaria, prédio de pesquisas, laboratório químico, oficina mecânica, banco de provas e células de testes especialmente equipadas, e biblioteca especializada contendo um dos mais completos acervos especializados na área de combustão, propulsão e catálise. Os equipamentos disponíveis incluem câmara de vácuo, termobalanças, cromatógrafos, aparelho volumétrico, tornos mecânicos, medidores, sensores diversos, fornos, combustores, queimadores, injetores e estato-reatores. Os recursos computacionais disponíveis incluem vários microcomputadores e estações de trabalho, havendo possibilidade de acesso ao supercomputador e às estações avançadas de trabalho do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), também localizado no Centro Regional de Cachoeira Paulista. Possui acesso direto com outras bibliotecas e dispõe de um dos mais completos acervos especializados na área de combustão, propulsão e catálise. Os principais destaques deste laboratório são seus dois bancos de testes, a saber:

    (a) Banco de Testes em Condições Atmosféricas (BTCA) e
    (b) Banco de Testes com Simulação de Altitude, (BTSA).

    • 4.1 BANCO DE TESTES COM SIMULAÇÃO DE ALTITUDE - BTSA

      Encontram-se em operação três bancos de testes para motores até 200 Newtons de empuxo no mundo, um nos Estados Unidos, um na Rússia e outro na Alemanha.

      O BTSA do INPE foi projetado e construído no Laboratório Associado de Combustão e Propulsão em parceria com a Sociéteé Européene de Propulsion, empresa francesa que hoje pertence a SNECMA Moteurs. Tem por finalidade qualificar propulsores utilizados em varias manobras espaciais, necessárias para o posicionamento e manutenção das órbitas de Satélites e plataformas espaciais. Este banco permite testar motores monopropelentes a decomposição catalítica de um combustível, em geral a Hidrazina anidra, até 150 Newtons e, bipropelentes utilizando como oxidante o tetróxido de nitrogênio e como combustível a monometilhidrazina, até 200 N. Aqui, podem-se realizar testes pulsados da ordem de mili-segundos até uma hora em tiro contínuo.

      O BTSA é único da América Latina, criado não só para dar suporte ao programa espacial brasileiro mas, também a todos os países que queiram qualificar seus propulsores para missões espaciais. Inaugurado em 29 de dezembro de 1999, já testou motores de 200 Newtons de uma empresa francesa, ligada a agência espacial européia, responsável para levar material à Plataforma Espacial Internacional. Atualmente testa motores de 200 Newtons desenvolvidos pelo INPE e pelo Instituto de Aviação de Moscou (MAI). O BTSA permitiu realizar: • Ensaios em propulsores de 200N desenvolvidos conjuntamente pelo INPE e Equatorial. • Ensaios de caracterização de catalisadores em motores de 2N, em acordo com a U. Louis Pasteur. • Ensaios de P&D em propulsores de plasma pulsados. • P&D em comportamento de pluma de propulsores, em condições variadas de altitudes simuladas.

    • 4.2 BANCO DE TESTES EM CONDIÇÕES ATMOSFÉRICAS - BTCA

      O BTCA foi inteiramente concebido e projetado no LCP e foi construído e equipado graças a um projeto infra-estrutura da FAPESP e aos recursos do projeto PRONEX. Tem condições de realizar ensaios envolvendo praticamente todos os tipos de propulsão química, até um empuxo de cerca de 2000 N. É o banco utilizado nos ensaios de desenvolvimento de novos produtos e na maior parte dos trabalhos de pós-graduação. A fase de desenvolvimento de propulsores apresenta riscos que devem ser completamente eliminados antes que o produto passe para a fase seguinte, que é a qualificação.




Recursos de Logística

De modo geral, os discentes de todas as áreas de concentração podem ainda contar com o apoio da infra-estrutura do instituto como:

  • OFICINA ELETRÔNICA A oficina de eletrônica projeta, fabrica e faz manutenção nos equipamentos utilizados pelos diversos grupos de pesquisa. Além disso, fornece equipamentos de medidas elétricas de precisão para todos os grupos de pesquisa.
  • SALA DE ESTUDOS e REUNIÕES 5 salas com espaço para seis usuários com infra-estrutura computacional e com wi-fi e acesso impressoras 4 salas de reuniões com recursos para apresentações e projeções.
  • SALAS DE SEMINÁRIOS Pelo menos uma sala com acomodação para 30 pessoas, data show e sistema para projeção de filmes em vídeo para cada área de concentração.
  • SALA DE BOLSISTAS E ESTUDANTES Há cinco salas dedicadas para esta finalidade, com acomodação para seis bolsistas/estudantes cada, com computadores individuais, com acesso livre e ilimitado à Internet de alta velocidade, impressora e scanner.

Recursos de Informática

Todas as áreas de concentração têm acesso ao sistema de rede de computadores e internet rápida com segurança provida pelo INPE.

A ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM MECÂNICA ESPACIAL E CONTROLE tem á disposição exclusiva: 8 computadores do tipo note-book, Scanners, 1 impressora, projetor de vídeo e Data-Show.

A ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM COMBUSTÃO E PROPULSÃO, conta com: 27 Microcomputadores. Acessível diretamente aos alunos: 3 Estações de Trabalho, 23 Microcomputadores, impressora projetor e Data-Show e os diversos Computadores.

A ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM MATERIAIS E SENSORES tem à disposição exclusiva do Curso de Pós-graduação uma sala de informática com 5 estações de trabalho, 1 impressora e copiadora. As linhas de pesquisa possuem: 14 computadores do tipo note-book, 74 microcomputadores, 7 scanners, 7 impressoras do tipo laserjet HP-5MP, impressora, copiadora e scanner, 4 máquinas fotográficas digitais, 1 projetor de vídeo com monitor 32" e 2 Data-Show.

A ÁREA DE CONCENTRAÇÃO EM ENGENHARIA E TECNOLOGIA ESPACIAIS conta com impressora, data-show. Devido a redução de custos dos equipamentos de informática, atualmente os alunos trazem seus notebooks e não há uma sala espacial com microcomputadores para eles, apenas as mesas, e wi-fi. Os equipamentos disponíveis para pesquisas no INPE podem ser utilizados por alunos de pós-graduação, alunos de Iniciação Científica e alunos de outras Universidades que estejam realizando os seus Trabalhos de Graduação sob orientação de docentes do INPE. As áreas têm disponibilidade de auditórios completamente equipados com recursos audio-visuais modernos. O Programa tem disponibilidade de equipamentos para vídeo-conferências.

Biblioteca

O INPE conta com um excelente serviço de Biblioteca. Desde 2006 contamos o serviço da "Biblioteca Online" para todos os docentes e discentes. A partir do link http://www.inpe.br/biblioteca/ toda a produção bibliográfica e técnica da Instituição pode ser consultada. Docentes e discentes têm acesso também as bases mais importantes sem necessidade de se deslocarem de sala do pesquisador, das salas de aula ou das salas de estudo