Você está aqui: INPE / Comunicação e Comunidade / Sala de Imprensa / Leia na íntegra

Notícia

Brasil e China estreitam cooperação em ciência espacial

por INPE
Publicado: Abr 01, 2019
Compartilhamento no FacebookCompartilhamento no Twitter

São José dos Campos-SP, 01 de abril de 2019

Imagem Brasil e China estreitam cooperação em ciência espacial

William Liu, do Centro Nacional de Ciência Espacial da China (NSSC, na sigla em inglês), esteve no Brasil entre os dias 21 e 24 de março para intensificar a cooperação científica espacial entre os dois países. No NSSC, Liu está à frente do Programa Círculo Meridiano Internacional (IMCP), que engloba extensa rede de instrumentos ao longo dos meridianos 60°W e 120°E e ferramentas computacionais para estudos sobre clima espacial.

Por meio do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o Brasil estabeleceu em 2014 um acordo com o NSSC para a instalação de equipamentos no Centro Regional Sul, em Santa Maria (RS), e na sede do Instituto, em São José dos Campos (SP). A parceria também resultou no Laboratório Sino-Brasileiro para Clima Espacial, que realiza suas atividades na sede do INPE, sob a coordenação executiva de Zhengkuan Liu.

O diretor do IMCP/NSSC viu resultados de trabalhos científicos durante sessão de pôsteres e esteve no Embrace, o Programa de Estudo e Monitoramento Brasileiro do Clima Espacial do INPE, e no Laboratório de Polarimetria Solar (LPS) da Divisão de Geofísica Espacial, onde conheceu a proposta da Missão Galileo (Galileo Solar Space Telescope - GSST). William Liu também visitou o Laboratório de Integração de Testes (LIT), onde o satélite sino-brasileiro CBERS-4A passa pelos últimos ensaios antes do lançamento, a partir de uma base chinesa no segundo semestre deste ano.

Recebido pelo diretor do INPE, Ricardo Galvão, William Liu reforçou o interesse em manter a cooperação nos estudos sobre clima espacial. A parceria fortalece a pesquisa de doutores formados pelo INPE, que podem contar com a supervisão conjunta de pesquisadores chineses e brasileiros. Outra consequência é o intercâmbio contínuo entre especialistas dos dois países em workshops e visitas oficiais.

Como parte da agenda oficial no Brasil, Liu e a comitiva chinesa visitaram grupos de pesquisa da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), do Centro de Rádio Astronomia e Astrofísica da Universidade Presbiteriana Mackenzie (CRAAM) e do Observatório de Radioastronomia em Atibaia.


Professor Liu e pesquisadores do INPE


Sessão de pôsteres durante a visita da comitiva chinesa


Seminário de William Liu no INPE sobre o Programa Círculo Meridiano Internacional (IMCP)


Visita ao Laboratório de Polarimetria Solar


Logo INPE © Todas as matérias e imagens poderão ser reproduzidas, desde que citada a fonte.