Você está aqui: INPE / Comunicação e Comunidade / Sala de Imprensa / Leia na íntegra

Notícia

INPE lança projeto inédito de radiotelescópio

por INPE
Publicado: Out 26, 2004
Compartilhamento no FacebookCompartilhamento no Twitter

São José dos Campos-SP, 26 de outubro de 2004

Será lançada, no dia 27 de outubro (4ª feira), às 10h, a Pedra Fundamental do Projeto Arranjo Decimétrico Brasileiro (BDA, inglês). A cerimônia será no INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, órgão vinculado ao Ministério de Ciência e Tecnologia, de Cachoeira Paulista (SP).

O BDA é um radiotelescópio que emprega modernas técnicas em radiointerferometria, para investigações de fenômenos solares, galácticos e extragalácticos. É o primeiro interferômetro brasileiro e da América Latina, único com suas características no hemisfério Sul. Um interferômetro é um instrumento que combina o sinal de várias antenas, que o compõem, operando simultaneamente para construir uma imagem detalhada de um determinado objeto de interesse científico.

O projeto BDA surgiu de discussões de um grupo de radioastrônomos do Brasil - a maioria do INPE - e do exterior, que a partir de 1996 ponderou sobre a necessidade e viabilidade de se construir um instrumento para interferometria de ondas de rádio no Brasil, trazendo aquela tecnologia para o país.

O grupo pioneiro foi estabelecido em 1997 e formado pelos cientistas Prof. Hanumant S. Sawant, Prof. J.H.A. Sobral, Drs. J.R. Cecatto, F.C.R. Fernandes, R.R. Rosa, e o engenheiro E.M.B. Alonso, do INPE, além do Dr. E. Lüdke, da UFSM (RS). Aquele grupo efetuou um estudo minucioso e identificou a presença de uma massa crítica mínima de cientistas, técnicos e engenheiros brasileiros, que com colaborações internacionais, poderia dar início à construção de um instrumento daquele porte.

O principal colaborador estrangeiro do projeto foi o Prof. G. Swarup, do NCRA-TIFR da Índia, um dos responsáveis pelo desenvolvimento do maior interferômetro do mundo - o GMRT. O Prof. Swarup, com sua ampla experiência, sugeriu que o custo de cada elemento do BDA poderia ser drasticamente reduzido, com a redução do diâmetro das antenas para 4-5 m. Sugeriu também que a sensibilidade poderia ser melhorada aumentando o número de antenas para 38, e mesmo assim garantindo uma grande redução do custo total. Além disso, ofereceu o desenvolvimento da construção das antenas e do sistema de rastreio, bem como os testes, junto à sua instituição e a transferência dessa tecnologia para o INPE. Ele também participou no estabelecimento de um programa de colaboração bilateral entre o INPE e as instituições indianas para o treinamento de cientistas e engenheiros brasileiros, junto àquelas instituições.

O BDA deverá produzir imagens de fontes de rádio com altas resoluções espacial e temporal e numa grande faixa dinâmica. As imagens solares em rádio obtidas deverão ser utilizadas para aplicações em previsão do clima espacial e também para melhorar a compreensão a respeito das questões fundamentais da física solar.

No projeto, houve participação de várias instituições colaboradoras do Brasil (INPE, Universidade Federal de Santa Maria - UFSM, Universidade Federal de São Carlos - UFSCar, Pontifícia Universidade Católica de Poços de Caldas - PUCMG) e exterior (Indian Institute of Astrophysics - IIA, Tata Institute of Fundamental Research - NCRA-TIFR, University of California-Berkeley - UCBerkeley, Nobeyama Radio Heliograph, Japão, INTELTEK Automation Co. Ltd.). Além da FAPESP, a FINEP, o CNPq e o INPE apoiaram financeiramente o projeto. No exterior, o IIA e a Third World Academy of Sciences também forneceram apoio.

O custo total estimado do projeto é de cerca de R$ 3 milhões. A equipe de trabalho, incluindo colaboradores nacionais e estrangeiros, é composta por cerca de 30 membros entre cientistas, engenheiros e técnicos.

Histórico

O protótipo do BDA, composto de 5 antenas, entrou em operação em março de 2003, na sede do INPE, em São José dos Campos. Em julho de 2004, foi efetuada a transferência das 5 antenas do protótipo do instrumento para o sítio definitivo, na área do INPE, em Cachoeira Paulista (INPE-CP). Atualmente, está sendo concluída a instalação do PBDA no INPE-CP. A entrada em operação do instrumento está programada para até o final de 2004.

O BDA está sendo instalado dentro do campus do INPE de Cachoeira Paulista, latitude -22 41 36 , longitude 45 0 15 , e altitude de aproximadamente 560 m acima do nível do mar. Cachoeira Paulista encontra-se aproximadamente 110 km a Nordeste da sede do INPE de São José dos Campos. Este local foi escolhido devido às condições de logística e relevo, bem como o relativamente baixo nível de interferência proveniente de sinais artificiais no local.


Logo INPE © Todas as matérias e imagens poderão ser reproduzidas, desde que citada a fonte.