Você está aqui: INPE / Institucional / Sobre o INPE / Relações Internacionais / O que é SCRIN?

Relações Internacionais

Publicado Por: INPE
Última Modificação: Dez 04, 2017 10h52

O que é SCRIN?


A Seção de Relações Internacionais do INPE (SCRIN) tem por finalidade assessorar na institucionalização das iniciativas de cooperação internacional, particularmente no que se refere à realização de missões espaciais e à participação em acordos globais multilaterais.

Dentre as responsabilidades da SCRIN destacam-se:

  • assessoria na preparação de acordos internacionais e na montagem e acompanhamento de processos para formalização das cooperações internacionais;
  • organização da documentação relativa aos acordos internacionais firmados;
  • preparação de reuniões com as autoridades das agências estrangeiras que visitam o Instituto;
  • participação em reuniões e eventos que objetivem firmar acordos internacionais com o INPE e
  • atendimento de demandas de órgãos nacionais e internacionais, tais como Ministério das Relações Exteriores, MCTI, AEB e UNOOSA (United Nations Office for Outer Space Affairs), sobre assuntos de cooperação internacional.

Tendo em vista que, na atualidade, a articulação institucional e a cooperação para pesquisa, desenvolvimento e inovação, são temas de extrema relevância para organizações de ciência e tecnologia, o fortalecimento do relacionamento institucional em âmbito nacional e internacional torna-se crucial para que o INPE possa atingir seus objetivos estratégicos.

Nas cooperações do Instituto com as demais organizações de ciência e tecnologia, incentivam-se iniciativas que contribuam especialmente para:

  • ampliação da geração e difusão de conhecimento por meio de atividades de pesquisa e desenvolvimento;
  • compartilhamento de dados científicos e ambientais;
  • acesso a tecnologias (inclusive tecnologias sensíveis);
  • busca de financiamento; formação e capacitação de recursos humanos;
  • ampliação de mercados para a indústria espacial nacional e
  • compartilhamento de equipes e infraestrutura.

No caso de cooperações internacionais, os esforços concentram-se em projetos vinculados às prioridades nacionais de desenvolvimento que provoquem o adensamento das relações políticas, econômicas e comerciais entre o Brasil e os países parceiros, atuando com base em uma estratégia de relacionamento consonante com as diretrizes do MCTI, da AEB e do Itamaraty.