Você está aqui: INPE / 6ª ESCOLA AVANÇADA DE ASTROFÍSICA DO INPE / Programa

Programa



Jeff Peterson

Jeff Peterson

Descreverei a história térmica do Hidrogênio, da recombinação à reionização, a partir do estudo da linha de emissão de 21 cm. Abordarei como experimentos imageadores e do tipo “all sky” usam a informação sobre a linha de emissão do H neutron para estudar a história cósmica das primeiras estrelas, galaxias, fonts de raios X e estrutura em grande escala.

Yin-Zhe Ma

Yin-Zhe Ma

Essas aulas tratarão de aspectos da cosmologia de 21cm: sua temperature media, introdução à teoria de perturbações, perturbações relativísticas na temperatura de brilho de 21 cm. Finalmente, veremos como medir BAO a partir de observações da Radiação Cósmica de Fundo e de 21 cm.

Marta Silva

Marta Silva

As primeiras estrelas formadas durante o Amanhecer Cósmico aqueceram o meio intergaláctico (em inglês, IGM) acima da Radiação Cósmica de Fundo em Microondas (em inglês, CMB). Mais tarde, durante a Época de Reionização (EoR), a radiação das primeiras galáxias ionizou o meio intergaláctico. O processo de reionização foi a última grande transição de fase em nosso Universo e teve um grande impacto na formação e evolução subsequente das galáxias. A linha de 21cm do hidrogênio neutro é uma sonda direta do estado do IGM no início do Universo. Portanto, esta linha de transição é o alvo de múltiplas missões do Amanhecer Cósmico que planejam detectar a absorção deste sinal e de missões que estão competindo por uma primeira detecção estatística do sinal em emissão. A segunda geração de missões / experimentos para medir a linha de 21cm está sendo planejada com o objetivo de modelar a evolução da amplitude do sinal e das flutuações espectrais e, finalmente, mapear o campo de reionização em 3 dimensões. Descreverei a física que trata do sinal da linha de 21cm e os múltiplos esforços para modelar a amplitude da linha de 21cm e as flutuações espaciais durante o Amanhecer Cósmico e a Época da Reionização. Além disso, discutirei as várias missões atuais que estudarão o universo em alto redshift e que visam investigar o processo de reionização e as fontes de radiação ionizante.

Filipe Abdalla

Filipe Abdalla

A estatística bayesiana é uma ferramenta muito importante para o cosmólogo e o radioastrônomo. Os exemplos de usos das estatísticas bayesianas são rápidos neste campo. Por exemplo: a determinação dos mapas que revelam a estrutura em larga escala do Universo, a determinação de parâmetros cosmológicos ou a detecção de fontes em imagens de rádio, tudo pode ser otimizado quando um modelo é testado através da estrutura bayesiana. Todos esses ingredientes são necessários ao testar um modelo cosmológico. Vou rever o histórico das estatísticas Bayesianas e suas aplicações à cosmologia. Também revisarei a metodologia que nos permite resolver alguns desses problemas em uma estrutura bayesiana. Vamos rever o software disponível publicamente que pode ser usado nos problemas acima.

Publicado Por: INPE
Última Modificação: Mai 30, 2018 17h11