Fale Conosco
:: Domingo, 25 de Junho de 2017
A A A









Valid XHTML 1.0 Strict  CSS vlido!

NanoSatC-BR1

Missão Científica

O NANOSATC-BR1 tem a missão científica de coletar dados do Campo Magntico Terrestre principalmente na regio da Anomalia Magntica da América do Sul AMAS e do setor Brasileiro do Eletrojato Equatorial Ionosfrico. Para isso utilizar um magnetmetro de trs eixos da empresa holandesa XI Xensor Integration (www.xensor.nl), modelo XEN-1210 com resoluo de 15nT.

Missão Tecnológica

A Missão Tecnológica do NANOSATC-BR1 consiste em testar, em voo, Circuitos Integrados (CIs) projetados no Brasil e financiados pelo Projeto CITAR-FINEP para resistência à radiação com um objetivo maior de futuramente serem possivelmente utilizados em missões com outros satlites Brasileiros de maior porte.

Driver on/off

A Divisão de Eletrônica Aeroespacial DEA/INPE-MCTI solicitou MCTI solicitou Gerência do Projeto NANOSATC-BR1 e a Coordenação de Engenharias e Tecnologias Espaciais do Programa e do Projeto NanoStaC-BR1, no âmbito do Convênio INPE/MCTI UFSM, propôs o desenvolvimento no Brasil de um Circuito Integrado, o RH-DRVTestChip-I, com a função específica de liga/desliga de cargas teis a serem futuramente utilizadas na Plataforma Multi Missão (PMM), atualmente sendo desenvolvida pelo INPE/MCTI. O circuito, RH-DRVTestChip-I, ativado por telecomando, deve atuar como uma interface entre as cargas teis e a plataforma de serviço do satélite. Ressalta-se, como resultado, que o circuito RH-DRVTestChip-I, financiado pelo Projeto CITAR - FINEP, foi projetado e desenvolvido para ser resiste à radiação ionizante pela Santa Maria Design House SMDH, vinculada a UFSM, em Santa Maria, RS, sendo que 50 protótipos do mesmo foram fabricados na Alemanha e já se encontram no Brasil.

FPGA

Em paralelo, por solicitao da Divisão de Eletrônica Aeroespacial DEA/INPE-MCTI e por gestões efetuadas pela Gerência do Projeto NANOSATC-BR1 e da Coordenação de Engenharias e Tecnologias Espaciais do Programa e do Projeto NanoStaC-BR1, foi solicitado ao Grupo de Microeletrônica GM, do Instituto de Informática IF, da UFRGS, em Porto Alegre, RS, o desenvolvimento de um software imune a radiação ionizante aplicável a um FIELD PROGRAMMABLE GATE ARRAY - FPGA ProAsic3, modelo que não apresenta esta funcionalidade que é muito importante no âmbito espacial, de modo a tornar o FPGA e consequentemente aos sistemas a ele conectados e/ou gerenciados mais resistentes a radiação cósmica ionizante. São, portanto, dois métodos distintos de proteção radiação ionizante para componentes que podero futuramente ser aplicados em projetos espaciais: por projeto com aplicao em hardware e por software. O GM/IF-UFRGS, em paralelo, o responsável pelo projeto e desenvolvimento da placa de carga útil,do nanosatélite o NanoSatC-BR1 que incorporará o FPGA, o driver, o magnetômetro XEN-1210, componentes como memória flash e outros componentes.

Educacional

O NANOSATC-BR1 é desenvolvido em Parceria e Convênio entre a UFSM e o INPE/MCTI. A Gerência do Projeto está localizada no Centro Regional Sul de Pesquisas Espaciais CRS/INPE-MCTI, em Santa Maria, RS. A Coordenação Geral de Engenharias e Tecnologias Espaciais do Programa e Projeto para o suporte técnico, integração, testes e operao do Projeto é efetuada pela equipe localizada na sede do INPE/MCTI, em São José dos Campos, SP. Alunos de Física, Engenharias e de Computação dos Cursos de Graduação da UFSM participam de todas as fases do Projeto, desde a sua especificação e desenvolvimento até a montagem do NANOSATC-BR1, integração e testes e a sua operação. Os alunos estão no Programa de Iniciação Científica & Tecnológica & inovação do CNPq/MCTI e da DSAD/AEB-LSITEC com bolsas e/ou estgios alocadas ao INPE/MCTI e com orientadores/supervisores das equipes técnicas e científicas do INPE/MCTI. Alguns possuem bolsas da UFSM.



Parceiros