Você está aqui: INPE / Centro Regional da Amazônia / Projetos e Pesquisas / DETER-B

Projetos e Pesquisas

Publicado Por: INPE
Última Modificação: Jul 30, 2018 12h15

Deter-B

Imagem DETER-B

O Projeto DETER-B surgiu a partir da alteração do padrão de áreas desmatadas na Amazônia. Atualmente, a maior parte dos polígonos de desmatamento mapeado pelo PRODES possui área unitária menor que 25 hectares. O projeto DETER-A, surgido em 2004, utiliza imagem do sensor MODIS com 250 metros de resolução espacial e não é capaz de detectar este padrão de desmatamento. Desenvolvido no Centro Regional da Amazônia, o projeto DETER-B veio para preencher esta demanda, uma vez que identifica e mapeia, em tempo quase real, desmatamentos e demais alterações na cobertura florestal com área mínima próxima a 1 ha.

São utilizadas imagens dos sensores WFI, do satélite CBERS-4 (Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres) e AWiFS, do satélite IRS (Indian Remote SensingSatellite), com 64 e 56 metros de resolução espacial, respectivamente. Os dados são enviados diariamente ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) sem restrição de área mínima mapeada, entretanto, para o público em geral os polígonos são disponibilizados com dimensão mínima de 6,25 ha, permitindo dessa maneira o estabelecimento de um critério de comparação com os dados gerados pelo projeto PRODES. Existe também uma diferença de cinco dias entre a data de detecção e a data de disponibilização das informações no site do projeto, prazo utilizado para a validação destas detecções antes de sua liberação, conforme acordo de cooperação técnica assinado entre o MCTIC/INPE e MMA/IBAMA (ACT N°24/2014).

A identificação do padrão de alteração da cobertura florestal é feita por interpretação visual com base em cinco elementos principais (cor, tonalidade, textura, forma e contexto) e utiliza a técnica de Modelo Linear de Mistura Espectral (MLME), conjuntamente com sua imagem multiespectral em composição colorida para mapear as seguintes classes:

Classes
Nível 1 Nível 2
DESMATAMENTO (ALERTAS) Desmatamento com solo exposto
Desmatamento com vegetação
Mineração
DEGRADAÇÃO Degradação
Cicatriz de incêndio florestal
EXPLORAÇÃO MADEIREIRA Corte Seletivo Tipo 1 (Desordenado)
Corte Seletivo Tipo 2 (Geométrico)


A metodologia e as estatísticas de validação do Projeto DETER-B publicadas em artigo científico estão disponíveis nos links abaixo:



Os resultados das detecções, por classe, estado, município e unidades de conservação federais estão disponíveis via consulta espacial no portal TerraBrasilis para download em formato shapefile (*.shp).


Os resultados das estatísticas por período de tempo estabelecido pelo usuário podem ser visualizados via dashboard e acessado para download em formato de texto separado por um delimitador (*.csv) e em formato shapefile (*.shp).


Em função da cobertura de nuvens variável de um mês para outro e, também, da resolução dos satélites, o INPE não recomenda a comparação entre dados de diferentes meses obtidos pelo sistema DETER-B. Estes dados podem incluir processos de desmatamento ocorridos em períodos anteriores ao do mês de mapeamento, mas cuja detecção não fora antes possível por limitações de cobertura de nuvens. É preciso distinguir entre o tempo de ocorrência e a oportunidade de detecção que é dependente do regime de nuvens.

INPE enfatiza que o DETER-B é um sistema expedito de Alerta desenvolvido metodologicamente para suporte à fiscalização. A informação sobre áreas é para priorização por parte das entidades responsáveis pela fiscalização e combate do desmatamento e não deve ser entendida como taxa mensal de desmatamento. O número oficial do INPE para medir a taxa anual de desmatamento por corte raso na Amazônia Legal brasileira é fornecido, desde 1988, pelo projeto PRODES que trabalha com imagens de melhor resolução espacial capazes de mostrar também os pequenos desmatamentos.


Contato, dúvidas e sugestões sobre o Deter-B:

Email:
deter-b